quarta-feira, 20 de agosto de 2014

Tosca opinião

Quem nunca ouviu a máxima "Todos merecem uma segunda chance"?!

Quando sofremos uma decepção pessoal, essa é uma das frases que nos vem a cabeça depois do assentamento das ideias.

Embora, por muitas vezes, não cedemos à tentação.

Mas, sempre haverá quem fique magoado e chore, mas, quando o tempo passa, decide dar aquela "segunda chance".

A Primeira chance foi cheia de virtudes sobressaltadas, qualidades admiradas, futuros projetados e aquela confiança, muitas vezes, exarcebada.

A segunda nunca será como a primeira. Foi construida uma barreira.

A segunda chance é cheia de receios e marcada por palavras lançadas no rosto alheio.

A desconfiança será sempre a dona da casa.

Já não haverá conversa sobre todas as coisas.

Haverá  alfinetadas nas horas da raiva.

E sempre haverá aquela pausa pra pensar porque está ali... e lembrará que existe ou existiu amor.

Que as qualidades superaram o errar.

E então você se arrependerá por uma coisa ou por outra, mas se arrependerá.

Seja por alfinetar ou por amar.

Élida Regina Pereira

3 comentários:

  1. É difícil mesmo... Até porquê, dependendo da situação, dizer-se arrependido após ser descoberto é um clichê tão sem garantia que não vale uma segunda chance. E se for pra viver na agonia, melhor é não tentar (re)aceitar...
    Talvez -talvez-, se o arrependimento vier em vias de confissão, pode ser que o valha, mas a desconfiança é uma etiqueta de roupa, que mesmo pequena, incomoda muito.
    Muito boa reflexão essa...
    Parabéns pelo espaço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Flávio, obrigada!
      Volte quando quiser, é bom ter você por aqui!!

      Excluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir